O BAIRRO E SUA HISTÓRIA

ITACOATIARA, na Região Oceânica de Niterói, é um bairro de características residenciais, localizado em uma Área de Preservação Ambiental, por estar na zona de amortecimento do Parque Estadual da Serra da Tiririca. Situa-se entre os costões do Alto Mourão e do Morro das Andorinhas, e tem acesso rodoviário único pela Estrada Francisco da Cruz Nunes, o que confere ao bairro condições especiais de segurança. Uma grande rocha divide a praia em dois trechos (Praia e Prainha). A Praia tem 700m de extensão. Não existem banheiros ou chuveiros públicos no bairro.

Com cerca de 400 residências, Itacoatiara tem vigilância permanente por meio de um DPO (Destacamento de Policiamento Ostensivo) da PM situado na entrada, e de um sistema operado em conjunto com a PM, com câmeras em todas as ruas e uma central de monitoramento 24h. Há ainda o reforço de uma equipe de vigilância fazendo rondas no bairro e atendendo aos chamados dos associados para verificação de atividades suspeitas.

O comércio em Itacoatiara é limitado pelo PUR (Plano Urbanístico em Niterói), podendo apenas funcionar no bairro estabelecimentos situados nos pontos já existentes quando a legislação foi aprovada (1992). Por este plano, apenas os estabelecimentos nas esquinas da Rua Mathias Sandri com Rua das Margaridas e Rua das Camélias têm autorização legal.

Os seis quiosques que detém concessão para funcionamento na praia só podem operar até 20h (dias normais) e 21h (período de horário de verão), não podem realizar shows ao vivo, oferecer música mecânica em alto volume, colocar mesas na areia ou calçadas nem vender bebidas em garrafas (conforme determinação de Termo de Ajustamento de Conduta firmado em 2001). As barracas na praia só comercializam produtos prontos (biscoitos e bebidas).

Se você é morador, freqüentador de Itacoatiara ou pretende visitar o bairro, fique atento para as leis e posturas municipais em vigor.

SUA HISTÓRIA

Ita (pedra) + cuatiara (risco, desenho, inscrições) duas palavras da língua Tupi que juntas significam “pedra escrita” ou “pedra riscada” são a origem deste recanto especial originalmente habitado pelos índios Tamoios.

O Alto Mourão, ponto culminante da Serra da Tiririca, e ponto mais elevado da cidade de Niterói com seus 412 metros era conhecido como “falso pão de açúcar” porque embora os navegantes o avistassem primeiro, não era este o rochedo que indicava a entrada da Baía de Guanabara.

Von Spix e Martius, famosos naturalistas europeus, passaram pela Região Oceânica de Niterói no século 18 e documentaram sua rica fauna e flora.

A região onde está localizado o bairro de Itacoatiara deu início ao seu povoamento, por volta de 1940, quando Mathias Sandri comprou a maior parte dessa área, cerca de 70%. Os outros restantes 30% foram adquiridos por Francisco Felício. Posteriormente, toda a área foi loteada, a maioria com lotes de dimensões de 15m x 30 m.

Para evitar a entrada de animais de grande porte pelo único acesso existente, foi construído na ocasião um “mata burro”. Nessa ocasião, a região carecia de energia elétrica e qualquer outra infraestrutura urbana e era ligada à via principal, a atual Estrada Francisco Cruz Nunes, por uma estreita estrada de terra batida, sem pavimentação. A urbanização do bairro se completou na década de 70, quando o diretor do Jardim Botânico de Niterói se mudou para Itacoatiara. Nesta ocasião as ruas do bairro foram arborizadas e todas elas receberam nomes de árvores e flores dados por ele.